Formação

“Entre os filhos das mulheres, não surgiu outro maior que João Batista”

Solenidade do Nascimento de João Batista

São João Batista nasceu milagrosamente em Aim Karim, cidade de Israel que fica a 6 quilômetros do centro de Jerusalém. Seu pai era um sacerdote do templo de Jerusalém chamado Zacarias. Sua mãe foi Santa Isabel, que era prima de Maria Mãe de Jesus. São João Batista foi consagrado a Deus desde o ventre materno. Em sua missão de adulto, ele pregou a conversão e o arrependimento dos pecados manifestos através do batismo. João batizava o povo. Daí o nome João Batista, ou seja, João, aquele que batiza.

Contudo, eles não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e ambos eram avançados em idade. (Lc. 1,7)

A mãe de João Batista, Santa Isabel, era idosa e nunca tinha engravidado. Todos a tinham como estéril. Mas, então, o anjo Gabriel apareceu a Zacarias quando este prestava seu serviço de sacerdote no templo e anunciou que Isabel teria um filho e que este deveria se chamar João. Zacarias não acreditou e ficou mudo. Pouco tempo depois, Isabel engravidou como o Anjo havia dito.

Nesse mesmo tempo, o anjo apareceu também a Maria e anunciou que ela seria a mãe do Salvador. Então, Maria foi visitar Isabel, pois o anjo lhe havia dito que Isabel estava grávida. Quando Maria chegou e saudou Isabel, João mexeu no ventre da mãe e Isabel fez aquela maravilhosa saudação a Maria santíssima: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! De onde me vem que a mãe do meu Senhor me visite? (Lc 1-41-43).

“E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor e lhe prepararás o caminho, para dar ao seu povo conhecer a salvação, pelo perdão dos pecados.” (Lc. 1, 76-77)

São João Batista é muito importante no Novo Testamento, pois ele foi o precursor de Jesus, anunciou sua vinda e a salvação que está na remissão dos pecados, a salvação que Jesus traria para todos. João Batista era a voz que gritava no deserto e anunciava a chegada do Salvador. Ele é também o último dos profetas. Depois dele, não houve mais nenhum profeta em Israel.

Enfim, João Batista assumiu com a responsabilidade de sobretudo anunciar o Messias para a humanidade. Por isso que Jesus afirma que entre os filhos das mulheres não surgiu outro maior que João Batista.

“Eu devo ser batizado por ti e tu vens a mim?” (Mt. 3-14)

Por causa de seu carisma, algumas vezes o povo pensava que São João Batista era o Messias. Mas ele sempre dizia: Eu não sou o Cristo, eu não sou digno de desatar nem a correia de suas sandálias. (Jo. 1-27)

A teofania, isto é, a manifestação divina, no batismo do Jordão revela a João a personalidade divina de Jesus (João 1, 29). O batismo de Jesus é o apogeu do ministério de João, após o batismo Jesus começou sua vida pública.

“Quero que sem demora me dês a cabeça de João Batista” (Mc. 6, 25)

Santo Agostinho exalta a grandeza do último e maior profeta. O ministério de João Batista chega ao apogeu no batismo de Cristo e se conclui com o seu martírio. João é colocado entre dois testamentos. Anuncia o Cristo e desaparece, concluindo todas as profecias do Antigo Testamento e dando, como primeiro, o testemunho do sangue àquele de quem não é digno desamarrar as sandálias.

Nas pregações de São João ele não silenciava sobre a vida do rei Herodes. João denunciava a vida adultera do rei. Herodes tinha se unido a Herodíades, sua cunhada. São João Batista denunciava também a vida desregrada de Herodes em seu governo. Não se sabe quando João encontrou Herodes, e denunciou secamente a vida do tirano que o coloca na prisão.

Herodes ofereceu um grande jantar que contou a presença de poderosos da época. Em certo momento da festa, acredito que pelo final quando os convidados estavam já embriagados, a filha de Herodias entrou na presença de Herodes e dançou para ele. O que é lido indica que foi uma dança sugestiva, cheia de erotismo. Então envolvido e impulsionado pela situação, Herodes disse para moça que lhe daria tudo o que ela lhe pedisse.

A moça saiu e foi se aconselhar com sua mãe, que lhe disse para pedir a cabeça de João Batista. Então ligeiramente a moça foi ter com Herodes e fez o pedido: “Quero que, sem demora, me dês a cabeça de João Batista”.

O imediatismo usado no pedido da moça deixa claro que o plano era para que João Batista não pudesse escapar da morte; nem o próprio Herodes da promessa que havia feito. Então rapidamente Herodes mandou decapitar João Batista.

Louvemos com fervor este santo admirável, mas, sobretudo, procuremos imitar suas virtudes e, entre elas, sua profunda humildade.

São João Batista, rogai por nós!

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?