Formação

Exaltação da Santa Cruz: Revesti-vos do Homem Novo

Tendo em vista que hoje é a Festa da Exaltação da Santa Cruz e atrelando ao que estamos vivendo dentro do Mês da Palavra de Deus, podemos dizer que o mistério da Cruz de Cristo nos leva a despojarmo-nos do Homem Velho, com toda a sua mentalidade, a fim de nos revestir do Homem Novo.

Conduzidos pelo Evangelho de hoje que está em Jo 3,13-17, podemos perceber que:

Nicodemos foi ter com Jesus de noite, pois nele havia uma sede de Deus. Ele era um fariseu e principal entre os judeus, ou seja, Nicodemos era membro do Sinédrio. A palavra grega utilizada para descrever a posição de Nicodemos é archon, que significa “governador”, termo muito usado como uma espécie de título para os integrantes do Sinédrio. Em algumas traduções, o termo também é traduzido como “líder dos judeus”. Nicodemos era um mestre em Israel, um estudante profissional, intérprete e doutor da Lei, ocupando uma posição muito proeminente. Já conhecia muita coisa, mas infelizmente ainda reinava nele a ignorância da fé.

Necessário vos é nascer de novo!

Por isso, Jesus diz para Nicodemos: “Necessário vos é nascer de novo. Se não nascer de novo não poderá ver o filho de Deus.” Aqui Jesus está dizendo que ele precisa mudar de mentalidade, que a mentalidade dele ainda está cega ao amor de Deus, ao que Deus é capaz de fazer por ele. No entanto, Deus foi capaz de entregar o seu filho único para dar a vida por ele e por cada um de nós na Cruz.

A mentalidade de Nicodemos era tão meramente humana e terrena que questionou o Senhor: “Como pode um homem renascer, sendo velho? Porventura pode tornar a entrar no seio de sua mãe e nascer pela segunda vez?”. Vejamos quão limitada e ignorante era a mente de um fariseu, só conhecia à risca a Lei. Vivia cego ao que era eterno. Não via as entrelinhas da Palavra de Deus. Portanto, fazia-se necessária para Nicodemos a mentalidade da fé. Já dizia São Paulo: “O justo vive da fé!”. O que Jesus queria era vesti-lo de uma nova humanidade, ou seja, fazê-lo renascer da água e do espírito para assumir a vida nova que brota da Cruz e que é salvação para todos nós. Segundo Efésios 4,22-24: “Renunciai a vida passada, despojai-vos do homem velho, corrompido pelas concupiscências enganadoras. Renovai sem cessar o sentimento da vossa alma, e revesti-vos do homem novo, criado à imagem de Deus, em verdadeira justiça e santidade.”

Deus amou de tal forma o mundo que lhe deu seu filho único

A linguagem da Cruz é um mistério para toda a humanidade, tratada até como uma loucura. Neste evangelho, Jesus fala sobre este mistério que só pode ser desvendado com os olhos da fé. Então, a partir do versículo 14, Jesus começa a falar sobre a própria morte, já prenunciada lá em Nm 21,4-9. “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim deve ser levantado o Filho do Homem, para que todo homem que nele crer tenha a vida eterna”. Moisés tinha mandado prender na ponta de um suporte uma serpente de bronze. Vendo-a, os hebreus ficavam curados de suas feridas. É um símbolo do Antigo Testamento que se prefigura no Novo em Jesus na cruz, no qual está a salvação do mundo. Dessa forma, imaginemos como foi difícil para Nicodemos compreender tudo isso, já dizia Jesus: “És doutor em Israel e ignoras estas coisas!… Se vos tenho falado das coisas terrenas e não me credes, como crereis se vos falar das celestiais?”. Por isso, é preciso ter fé, CRER.

É óbvio que Deus não quis aquela forma de sofrimento para o Seu Filho, mas Jesus suportou aquele sofrimento extremo por amor a mim e a você. Deus, de fato, amou tanto o mundo, a ponto de subir na cruz e morrer por todos nós. Exaltar a cruz não é para nos fazer sentir culpa pela morte de Jesus por causa dos nossos pecados, mas é para nos recordar o quanto valemos aos olhos de Deus.

Como fala o Evangelho e os profetas, Jesus já sabia de que forma ele haveria de morrer, só não sabia exatamente a hora. Isaías profetizou dolorosamente a paixão de Jesus no Cap. 53, com uma riqueza de detalhes. Segundo ele: “Ele foi maltratado e resignou-se; não abriu a boca, como um cordeiro que se conduz ao matadouro, e uma ovelha muda nas mãos do tosquiador. Ele não abriu a boca.” Tudo isso ele fez por amor. Cristo na Cruz é a revelação mais perturbadora do amor de Deus para nós, já dizia o Papa Bento XVI.

E como nossa fundadora sempre nos diz:

“Olhemos para o Cristo crucificado! Olhemos! Porque quem olha para o crucificado se torna um vencedor!”

Geraldo Luan Neves Leorne
Consagrado na Comunidade de Vida Filhos de Sião

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?