Formação

Jesus Ressuscitou, a esperança voltou

A partir do Evangelho de São Lucas 24, 13-21, vamos meditar a esperança da Ressurreição.

Preparados para a Ressurreição

Eis que recebemos a melhor notícia de todos os tempos: Jesus ressuscitou e está vivo no meio de nós! Só é possível compreendermos a ressurreição se de fato vivenciarmos bem o Tríduo Pascal, sentindo junto de Cristo todo o caminho por Ele percorrido – desde o seu sofrimento e abandono. Como disse São Francisco: na Cruz, Jesus mendiga o amor do homem.

Assim, nossa santa Mãe Igreja nos ensina como devemos passar esse período, que se estende desde a Quaresma – na qual nos retiramos por quarenta dias, a fim de sermos transformamos e purificados – até chegarmos ao Tríduo, que é o ponto alto de preparação para a Páscoa. Nela seremos renovados para, um dia, ressuscitarmos com Cristo.

A terapia da esperança

Em uma de suas homilias, Papa Francisco, citando o caminho de Emaús (cf. Lc 24, 13s), explica que ali aconteceu a “terapia da esperança”, onde os discípulos se encontravam tristes e desanimados com a morte de Cristo, então, Ele surge como esse terapeuta, que os escuta e traz a boa nova da ressurreição.

Dessa forma, por vezes na nossa vida nos encontramos como esses discípulos – tristes e sem esperança, parados nas dificuldades -, e esquecemos que não estamos sós, que Jesus está vivo e sempre disposto a nos escutar. Ele deseja nos curar e nos dá a vida nova!

Por essa razão, nunca devemos esquecer da promessa de Jesus, a qual Ele diz: “Eu estou convosco até o dia da consumação dos céus” (cf. Mt 28, 20). Devemos lembrar disso quando nos sentirmos sozinhos, pois Jesus nunca é indiferente conosco, ao contrário, está sempre a nos acolher nas nossas limitações.

Cristo deseja que vivamos uma vida nova

Logo, o desejo de Jesus na Páscoa é que ressuscitemos com Ele! Ele quer preencher os nossos corações de esperança. Ainda, anseia que busquemos a conversão diariamente, desejando ser um novo homem, uma nova mulher pela ação do seu Santo Espírito – que habita em nós.

É preciso reconhecer que o Ressuscitado nunca se cansa de nos amar. Somente Ele foi capaz de se derramar, padecer em uma cruz até a última gota de sangue, por amor a mim e a você. Ele está sempre a nos esperar! Não deixemos que as nossas fraquezas nos impeçam de irmos ao Seu encontro.

 

Lidynara Teófilo
Consagrada na Comunidade de Aliança Filhos de Sião

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?