Formação

Maria se pôs adorar a vontade do Pai

Adorar é amar! Portanto, Maria amou a vontade do Pai.

Os Estatutos da Comunidade ensinam-nos que na adoração imola-se e sacrifica-se o próprio EU, a própria glória, a própria autossuficiência.

Maria consentiu amorosamente na imolação de seu Filho (Lumen Gentium, 58).  Consentir na imolação da vítima gerada por ela equivale a imolar-se a si mesma. “E uma espada transpassará a tua alma” (Lc 2,35).

O que eu tenho oferecido a Deus? Qual tem sido a minha imolação? Maria consentiu na imolação de seu Filho.

Muitos não nutrem um amor por Nossa Senhora. Outros até sentem raiva de nossa Mãe. Que Filho suporta ouvir absurdos de sua Mãe? Jesus é Filho de Maria. Como fica Seu Coração com tais atitudes?

Maria, com seu SIM e humildade, ESMAGA a cabeça da serpente, e derrota Satanás.

Maria tornou-se a nova Eva, Mãe dos viventes (CIC 511).

Maria foi concebida sem pecado. Seu corpo não poderia ser manchado com o pecado original, pois iria receber o Salvador, o Verbo que se fez Carne em seu ventre!

Dessa maneira, seu corpo foi Templo do Filho de Deus, Sacrário vivo. Aqui Maria já se colocava como adoradora da vontade do Pai. Eis aqui a escrava do Senhor.

“Maria foi a primeira a adorar a Jesus Eucarístico, pois, em seu seio virginal, Ele fez a sua morada”. (São Pedro Julião Eymard)

O Anjo Gabriel a chama bem-aventurada, cheia de Graça, e diz que Deus está com ela! Deus falou assim a algum profeta? Maria sempre foi humilde, obediente, modelo de Fé. Entregou-se à vontade de Deus! “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1, 28). Aqui Maria já começa a adorar a vontade do Pai. – Adorar é amar.

Muitos esquecem que ela carregou e adorou a Deus em seu ventre. Qual é a mãe que desde o ventre não cuida de seu filho?

Maria foi a maior adoradora de Jesus que existiu! Ela O adorou no ventre, na manjedoura, na infância, na adolescência, quando adulto, no calvário, e quando ressuscitado!

Maria adorou a vontade do Pai desde Belém até ao Gólgota. Guardava tudo em seu coração! (conforme Lc 2,51)

Maria conviveu com Jesus por 33 anos. Os apóstolos e seus discípulos só estiveram com Ele por cerca de três anos! Tudo que Jesus sentiu também Maria sentiu! Qual a mãe que não sente as dores e as alegrias do filho? “E uma espada transpassará a tua alma” (Lc 2, 35).

Alguém pode imaginar a dor de Maria ao ver seu Filho inocente e justo sendo chicoteado, maltratado e morto na cruz? Doeu, mas ela não murmurou! Apenas confiou na vontade do Pai, entregando seu sofrimento a Ele. Maria adora a escolha do Pai: a Sua Vontade.

Maria é o caminho para a verdadeira Adoração a DEUS.

“Foi em seus Braços que adoraram a JESUS os Reis da Terra, os Anjos do Céu, os pequenos e os grandes do Povo! Foi nos Seus Braços que se abrigou o Corpo Morto do Redentor ao ser descido da Cruz! Foi do Coração Imaculado de Maria que recebeu JESUS a mais profunda, perfeita e plena Adoração!”

Maria é a Perfeita Adoradora da Vontade do Pai, portanto!

No Calvário, Maria uniu-se ao seu Filho na adoração da santa vontade do Pai. Onde pode estar Maria senão com Ele, “junto da cruz”? Aqui ela convida e marca encontro com as almas generosas, para que se unam com ela na adoração da santa vontade do Pai. Adorar esta vontade, mesmo sem entendê-la. De Maria foi pedido muito mais. A nós é pedido tão pouco. Ex.: Uma renúncia.

Maria, ao olhar para Jesus crucificado, adorou a vontade do Pai. Amou a vontade do Pai. O que Maria nos ensina com este gesto é que a adoração nos dar a firmeza que precisamos para a nossa vida.

No Magnificat, a nossa alma aprende a adorar a Deus em “espírito e em verdade”. Esses são os adoradores que o Pai procura, recorda-nos São João: em espirito e em verdade.

Louvar e adorar a Deus em espírito e em verdade abre nosso coração para aceitar Sua Vontade e permite-nos ouvi-Lo diretamente. A verdadeira adoração realmente fecha a lacuna entre nós e nosso Criador.

Hoje e sempre Maria Santíssima é a Mãe e o Modelo daqueles que querem ser Verdadeiros Adoradores da vontade do Pai, porque Ela não ensinou pelo falar, mas convenceu pelo viver.

Papa Francisco chama-a de Mãe da adoração, pois Maria se tornou o lugar no qual Jesus e o homem podem encontrar-se. “Maria não é apenas a ponte entre nós e Deus; é mais: é o caminho que Deus percorreu para chegar até nós e é o caminho que nós devemos percorrer para chegar até Ele” (Homilia na Solenidade da Santa Mãe de Deus, 01 de janeiro de 2021).

Aos que desejam não andar errante, sigam ao lado de Maria, portanto.

A adoração é o ponto de encontro dos que amam.

Levemos Maria para nossa casa, pois ela nos ensinará a adorar a vontade do Pai em todas as circunstâncias!

 

Fellipe Rios Osterno
Consagrado na Comunidade de Aliança Filhos de Sião

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?