Formação

O carisma e o sentido de pertença

A comunidade Filhos de Sião é formada pela comunidade de vida, comunidade de aliança e grupos de oração. Cada realidade é um chamado de Deus e cada um tem sua beleza e seu valor. Sendo assim somos uma grande família, a família Filhos de Sião!

Cada um deve estar aonde Deus lhe chamou, mas sem esquecer que, aonde você estiver deve sempre abrir-se a Deus.

O Filho de Sião verdadeiro é aquele que consagra sua vida ao Senhor, seja na comunidade de vida, seja na comunidade de aliança. E os membros que participam dos grupos de oração são os Filhos de Sião que bebem desse carisma. Uns são o próprio carisma e outros são os que bebem desse carisma.

O carisma Filho de Sião é uma grande pérola, um dom que Deus nos deu. E esse mesmo carisma é quem nos dá a capacidade de louvar e adorar o amor que não é amado.

O mundo vive uma completa falta de amor e foi para corrigir essa falta de amor (a Deus) que Ele suscitou os Filhos de Sião. Assim, Deus chamou almas esposas que precisam mostrar ao mundo que nós amamos Jesus! Mas para amar como convém é preciso renunciar a tudo o que esse mundo nos propõe, é preciso uma vivência radical do evangelho, é necessário não ter medo de perder. Tenhamos, contudo, cuidado redobrado com aquilo que nossos ouvidos escutam e nosso olhos veem por aí.

O carisma também é algo sobrenatural. Nosso carisma por exemplo, foi inspirado por São Francisco de Assis, o mesmo, como nos disse Monsenhor Timbó no prefácio do meu livro Pérola preciosa, nos emprestou seus óculos, para que percebêssemos como o Amor não é amado!

Todo carisma é uma necessidade para o mundo. O mundo hoje precisa amar Jesus. Portanto, nosso carisma é mais que essencial para o mundo hoje. Enquanto a maioria quer ser desse mundo, nós queremos ser de Deus. Como São Camilo de Lellis precisamos dizer sempre: Basta de mundo!

Nossa vida precisa ser para os outros um perene encontrar-se com Cristo!

Por meio do carisma Filhos de Sião o Senhor também infundiu em nós o dom de louvá-Lo e adorá-Lo. Então, evitemos o murmúrio, sejamos fecundos por meio do louvor. Aqueles que louvam ao invés de reclamar, darão mais frutos a Deus!

Por tudo isso podemos dizer que, tanto aqueles que portam como aqueles que bebem, tem uma ligação sobrenatural e divina por meio do carisma. Afinal, somos o lugar que Deus decidiu morar para que outros o pudessem encontrar.

Mas e o sentimento de pertença ao carisma, como se dá?

No evangelho de João no capítulo 15, o Senhor nos lembra que Ele é a videira e nós somos os ramos e que precisamos permanecer Nele, para que Ele permaneça em nós. Saibam que tudo nesse mundo concorre para nos tirar de Jesus. O pecado nos fez perder o sentido de pertença a Deus. Mas nós pertencemos a Deus, e essa deve ser nossa primeira pertença!

Quando fazemos parte de um grupo de oração, de perseverança ou de uma célula, precisamos reconhecer nossa filiação. Nós somos filhos de Deus em primeiro lugar. E é o próprio Jesus que nos revela isso, é Ele que nos mostra que Deus é Pai e que devemos assumir isso e nos voltar para Ele.

Todos nós temos a necessidade básica de pertencer a algo ou a alguém, de amar e ser amado. Nós pertencemos a uma religião, e dentro dessa religião pertencemos a uma comunidade, e elas tem a missão de nos ligar a Deus, nos ajudando em nossa relação com nosso Pai. Viver em comunidade é viver em uma família, e viver em família é pertencer. Mas para pertencer eu preciso estar enraizado. Temos uma filiação, temos um carisma e pertencemos a esse carisma!

Somente os que se sente pertença põe a mão na massa e se colocam na posição de amar. Somente quem se sente pertença, sentem-se parte do projeto de Deus.

Muitas são as nossas necessidades. Temos necessidades fisiológicas, emocionais, de interação, etc, mas é somente o forte sentimento de pertença que nos fará permanecer juntos!

Encerro apresentado algumas sugestões para desenvolvermos esse sentimento de pertença:

A primeira coisa é não se excluir mais, aprendamos com São Tomé, que sofreu porque não viu Jesus, quando este apareceu ressuscitado a primeira vez ao apóstolos (Tomé não estava com os doze); aprenda a deixar o mundo, não conseguimos nos dedicar as coisas de Deus e as coisas do mundo; se envolva nas coisas da comunidade, sem envolvimento com a missão, com o apostolado é impossível o sentido de pertença; queira se ofertar mais que receber, é dando que se recebe.

 

Vander Lúcia Menezes Farias
Fundadora da Comunidade Filhos de Sião

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?