Formação

Porque para mim o viver é Cristo

A relevância da expressão “o viver para mim é Cristo” não deve ser interpretada de maneira exagerada, com receio ou orgulhosa.

O viver para mim é Cristo significa que imitamos o exemplo de Cristo.

Imitar a vida de Cristo

Conduzidos por Filipenses 1, 20-21, reflitamos com São Paulo. Nas situações da nossa vida é preciso questionar-se como Jesus se comportaria para podermos imitá-lo.

Assim, podemos questionar: O que Jesus faria? Como Ele agiria? São perguntas que precisamos nos fazer. Trazer para nossa realidade a vida de Cristo – Ele não é distante!

A partir dos episódios narrados nos Evangelhos, veja como Jesus vivia:

A conversão de Zaqueu (Lc 19, 1-10)Cobrador de impostos e Jesus quis estar com ele em sua própria casa. Todos murmuravam, pois, a figura de Zaqueu era mal vista. E Jesus diz para aquele homem: Hoje entrou a salvação nesta casa, porquanto também este é filho de Abraão. Pois o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido;

A fé de Bartimeu (Mc 10, 46-52) – O cego Bartimeu, sabia que Jesus ia passar e ficou a gritar, ele era cego. E mais uma vez a multidão o repreendiam, pedia que se calasse, mas ele gritava ainda mais alto: “Filho de Davi, tem compaixão de mim!” Jesus o chamou e o curou na mesma hora;

A mulher adúltera (Jo 8, 1-11) – Pegue em adultério, puseram-na no meio da multidão e queriam apedreja-las. Mas Jesus mais uma vez vai contra a decisão da multidão. Quem não tiver pecado que atire a primeira pedra;

A samaritana (Jo 4, 1-42) – Sendo tu judeu, como pedes de beber a mim, que sou samaritana! (Pois os judeus não se comunicavam com os samaritanos.) Mais uma vez Jesus vai em sentido contrário à multidão.

Ou seja, imitar Jesus é estar sempre indo contra a multidão, contra a mentalidade mundana. É remar contra o que o mundo prega! Logo, essa frase deve ser central para a vida de todo cristão.

Viver é Cristo…

A expressão “viver para mim é Cristo” significa que queremos conhecer Jesus Cristo mais de perto, e nos conformar a Ele. Não apenas com palavras, mas com o testemunho de vida.

Sobre isso, o Papa Francisco nos diz que: “Sempre, quando cada um de nós conhecemos mais a Jesus, nasce o desejo de torná-Lo conhecido, de partilhar este tesouro” com a vida, porque “toda a nossa existência deve gritar o Evangelho”.

Embora muitas vezes a nossa existência grite mundanidade, grite coisas estúpidas, estranhas, e que não imitam a Cristo, o nosso pastor diz: toda a sua existência deve gritar o Evangelho.

Ainda, o “viver para mim é Cristo” é deixar que Jesus seja o nosso foco, nosso objetivo e nosso principal desejo. Tudo o que fazemos, fazemos para a glória de Cristo. Estamos dispostos a desistir de qualquer coisa que nos impeça de ter a Jesus Cristo. “Separar de nós o que nos separa de Cristo”, como aprendemos em pregações anteriores.

O viver para mim é Cristo, afinal, é fazer de Jesus e dos irmãos a paixão de nossas vidas. A vida agora só tem um sentido: ficar com Cristo e servi-Lo.

…morrer é lucro!

Morrer é lucro! Soa estranho nosso ouvido, não é? Mas se trata de morrer para as coisas que nos afastam de Deus.

Devemos construir uma família (os que tem vocação para tal); desfrutar de uma carreira profissional; ter momentos de lazer… Nada disso nos é impedido de fazer.

É natural também pedir a Deus um emprego, desejar ter bons amigos e relacionamentos saudáveis. Tudo isso é correto, porque faz parte das bênçãos divinas. Isso só não pode tomar o lugar o de Deus. Ele é o foco, é o primeiro, e as demais situações vão ser guiadas a partir dEle.

Falando do meu testemunho pessoal, não diferente de muitos, para caminhar com Jesus: “eu tive que sacrificar a mim mesmo, aos meus amigos que não O seguem, à minha vida, que consistia em farras, roupas caras, glamour, posições, lugares, desejos, viagens… E todo dia eu ‘morro’ de felicidade, porque um amor maior que eu me sacia inteiramente“.

Assim, o viver para mim é Cristo que devemos querer é a busca pelo Senhor com paixão, e servi-Lo de coração em todas áreas da nossa vida, sem exceção e sem reservas. É uma oferta de mim mesmo na minha Igreja, na minha Comunidade, no meu trabalho, na minha família e por onde o Senhor me enviar.

E “morrer é lucro”, pois deixar Jesus ser aqui na terra nossa única felicidade é a melhor escolha.

O que não é viver em Cristo é um vida em pecado.

A mim foi dado um grande privilégio: Viver em Cristo no Carisma Filhos de Sião. Louvando e adorando o Amor que não é amado!

 

Fellipe Rios Osterno
Consagrado na Comunidade de Aliança Filhos de Sião

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?