Formação

Recebei o Espírito Santo

É chegado o dia em que a Igreja celebra seu nascimento, e nós, cristãos católicos, Filhos de Sião, celebramos juntamente com ela esta grande festa. É Pentecostes! O quinquagésimo dia depois da Páscoa! O dia da plena realização da Santíssima Trindade! Foi nesse Evento tão extraordinário que o Espírito Santo desceu sobre os apóstolos e Maria Santíssima, no Cenáculo, em Jerusalém. Foi lá onde ocorreu o cumprimento da Promessa do Pai: “O Espírito Santo descerá sobre vós e vos dará força” (cf. At 1,8). A partir dali, os discípulos que outrora estavam tristes e desanimados revestem-se da força propulsora do Altíssimo (dynamis) para anunciarem o Evangelho a toda e qualquer criatura.

Pentecostes Perene: A Promessa que se cumpre todos os dias.

Todos os anos celebramos e atualizamos Pentecostes em nossas vidas. Afinal, a Promessa é perene, “para nós, nossos filhos e para todos aqueles que ouvirem o apelo de Jesus Cristo” (cf. At 2,39). Este é o desejo do Pai: que sejamos cheios do Espírito Santo, a fim de que este nos transforme radicalmente, de dentro pra fora, e faça de nós suas testemunhas.

O Espírito Santo é o Paráclito, ou melhor, é nosso advogado, doce hóspede das nossas almas. É aquele que luta para que sejamos salvos! Portanto, Ele é uma necessidade vital para nós. Já dizia o Senhor pela voz do profeta Ezequiel: “Farei entrar em vós o sopro da vida, a fim de que revivais” (cf. Ez 37,6). Além disso, o Espírito Santo é uma Pessoa com a qual devemos nos relacionar e aprender sobre santidade. É bem verdade que nossa vida de santidade depende dele, e mais do que isso, é Ele quem nos faz santos!

O Espírito Santo esquadrinha tudo!

Jesus mesmo quem pediu aos apóstolos: “Não vos afasteis de Jerusalém, mas aguardeis aí o cumprimento da Promessa de meu Pai” (cf. At 1,4). Hoje, não fazemos memória, mas de fato vivenciamos aquele grande dia em que eles se encontravam na sala de cima, no Alto do Monte Sião, inclusive a Mãe de Jesus. Já se passavam nove dias em constante espera e oração, quando o Céu se rasgou em ventania, fazendo repousar línguas de fogo sobre os que lá estavam. Ali se cumpria a Promessa do Pai escrita em Joel: “Derramarei o meu Espírito sobre toda a raça humana” (cf. Jl 3,1). Naquele momento, o deserto se transformou em floresta e recebemos para toda a vida o Espírito Santo de Deus.

No Evangelho de hoje, ainda no cenário da Ressurreição, Jesus deixa Sua Paz aos discípulos e fala de um mútuo envio: “O Pai me enviou e também eu vos envio.” Ou seja, Deus Pai se doou oferecendo Deus Filho a nós, e agora Deus Filho se doa oferecendo o Deus Espírito Santo. Que belo! O Espírito Santo nasce de uma dupla doação divina! Quanto amor Deus tem por nós! Ele jamais deixaria seus filhos órfãos! E, depois de ter dito isso, Jesus sopra sobre eles e diz: “Recebei o Espírito Santo!” (cf. Jo 20,22).

Assim, como vimos, a Promessa do Pai se cumpriu na vida dos discípulos e hoje se cumpre na nossa Igreja, na nossa vida, nas nossas células, nos nossos grupos de oração. Não há mais espaço para a dúvida, para a tristeza, para o medo. Deus está conosco! Ele é a nossa Paz, a nossa verdadeira felicidade. Anunciemos essa verdade! O Espírito Santo veio para continuar a missão de Jesus. Ele mesmo nos ensinará todas as coisas e nos recordará tudo o que Jesus nos dissera.  Consagremos confiantes nossas vidas a Ele!

Escutem, Filhos de Sião: “Deixemo-nos conduzir pelo Espírito Santo!” Gl 5,16

Somos Sião, somos Igreja, somos Felizes!

 

Geraldo Luan Neves Leorne
Consagrado na Comunidade de Vida Filhos de Sião

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?