Formação

Retiro de Semana Santa – Sábado Santo

Sábado Santo é um dia de silêncio, dia de meditar a morte de Jesus. O mestre não está aqui…

E Jesus vem hoje nos dizer: Pai, quero que onde eu estou estejam comigo aqueles que me destes. Jesus é este que está realmente conosco e não nos decepciona, estamos sempre com Ele.

Conduzidos por João 12, 24-25.

Por que Jesus teve que morrer? Porque só ressuscita quem morre! Jesus, Ele se encarna é o Deus que se fez homem. União hipostática.

Não adianta se esconder, Jesus vai lhe buscar onde você estiver, pois Ele já foi até a mansão dos mortos, foi no mais profundo que o homem pode ir, foi tirar os nossos irmãos do antigo testamento que esperavam ansiosos pela vitória de Deus. A mansão dos mortos não é o inferno. Com esta ação de Jesus foi inaugurado o céu.

Vejamos este texto:

“Eu te ordeno: Acorda, tu que dormes, porque não te criei para permaneceres na mansão dos mortos. Levanta-te, obra de minhas mãos; eu sou a vida dos mortos. Levanta-te, obra das minhas mãos; levanta-te, ó minha imagem, tu que foste criado à minha semelhança. Levanta-te, saiamos daqui; tu em mim e eu em ti, somos uma só e indivisível pessoa.

Por ti, eu, o teu Deus, me tornei teu filho; por ti, eu, o Senhor, tomei tua condição de escravo. Por ti, eu, que habito no mais alto dos céus, desci à terra, e fui mesmo sepultado abaixo da terra; por ti, feito homem, tornei-me como alguém sem apoio, abandonado entre os mortos. Por ti, que deixaste o jardim do paraíso, ao sair de um jardim fui entregue aos judeus e num jardim, crucificado.

Vê em meu rosto os escarros que por ti recebi; para restituir-te o sopro da vida original. Vê nas minhas faces as bofetadas que levei para restaurar, conforme à minha imagem, a tua beleza corrompida. Vê em minhas costas as marcas dos açoites que suportei por ti para retirar dos teus ombros os pesos dos pecados.

Vê minhas mãos fortemente pregadas à árvore da cruz, por causa de ti, como outrora estendeste levianamente tuas mãos para a árvore do paraíso. Adormeci na cruz e por tua causa a lança penetrou no meu lado, como Eva surgiu do teu, ao adormeceres no paraíso. Meu lado curou a dor do teu lado. Meu sono vai arrancar-te do sono da morte. Minha lança deteve a lança que estava voltada contra ti.

Levanta-te, vamos daqui. O inimigo te expulsou da terra do paraíso; eu, porém, já não te coloco no paraíso mas num trono celeste. O inimigo afastou de ti a árvore, símbolo da vida; eu, porém, que sou a vida, estou agora junto de ti.”

Meditamos hoje a morte de Jesus e sua descida a mansão dos mortos. Meditamos também com Nossa Senhora.

Aos pés da Cruz depois que Jesus morreu, somente Nossa Senhora. Para os outros tinha acabado tudo. Eles não achavam que Jesus iria ressuscitar, mas Nossa Senhora foi a única que ficou firme, que permaneceu de pé.

Hoje a Igreja se une à Nossa Senhora aguardando a Ressureição!

Na Vigília Pascal, temos quatro partes: liturgia do fogo, da palavra, batismal e a comunhão.

O fogo que a Igreja ascende é o fogo do Espírito Santo a vela que é acesa no círio pascal é pra confirmar que nós só temos uma luz: Jesus! A liturgia batismal onde renovamos nosso batismo, as leituras que renovam todas as coisas e a Eucaristia o ápice.

O salário do pecado é a morte, o pecado que nós cometemos é muito grave, toda vez que pecamos estamos crucificando Jesus de novo. O Pecado é terrível. Nos afasta de Deus! Nós não vemos e não entendemos. A partir da oração vamos entender, porque a oração revela a verdade. O nosso povo não sabe escolher. Quem foi que escolherem Jesus ou Barrabás? Nós não sabemos escolher!

Deus vence, mas a palma da vitória passa pelo madeiro da Cruz. Ele se esvaziou! O céu é um estado, mas também é um lugar porque tem o corpo de Maria e de Jesus glorificado.

 

Patrícia Jovino
Obra – Comunidade Católica Filhos de Sião

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?