Formação

Semana de Formação 2024 – O poderoso fez em mim maravilhas

Conduzidos por São Lucas 1, 46-56. O evangelista apresenta o hino, o caminho que nós, Filhos de Sião, vamos trilhar para rendermos o perfeito louvor a Deus. Para o filho de Sião, tal louvor passará por este caminho intitulado “Bem-Aventurada Virgem Maria”. Com Ela nós vamos elevar a Deus o perfeito louvor.

O que Maria representa na Comunidade Filhos de Sião?

Na Comunidade, Maria não apenas representa, na verdade, Ela é o modelo de ser Filho de Sião. Desde a fé, o ser humilde e todo de Deus. É olhando para Maria, ficando e estando junto dEla que vamos crescendo na fé e no chamado de Deus, tornando-nos, assim, aquilo que Deus tem preparado para cada um de nós.

O Magnificat é o hino que a Virgem Santa cantou logo após as profecias feitas por sua prima Isabel. Quando ela profetizou sobre Nossa Senhora, Maria tomou posse das palavras e exulta de alegria em Deus, seu Salvador.

A minha alma engradece o Senhor

A Igreja reconhece a humildade de Maria Santíssima, pois Ela se coloca como pequenina e Deus é o engradecido. Ela não se diz cheia de méritos e virtudes, embora os tivesse. Ela engradece Deus na sua própria vida; deixa que Ele seja maior do que tudo, inclusive, maior do que o seu entendimento.

Desse modo, sendo Deus grande em Nossa Senhora, e Ela cada vez menor, apresentou-se como a serva do Senhor.

Quando Ela se intitula a serva do Senhor, não se refere ao serviço, ou a uma obra, mas estava se colocando como dependente do Amor. Não era serva para ser mãe de Jesus; para ser discípula, mas porque acolhia a vontade suprema de Deus na sua vida.

Maria, portanto, colocou-se à disposição de servir a vontade de Deus. O serviço não pode dizer aquilo que eu sou, visto que o seu fazer não é a sua identidade.

Pelo contrário, a identidade da Bem-aventurada Virgem de Sião é ser dependente de Deus e de sua vontade. Maria não quis nada para si, nada!

Virtuosos como Maria

Precisamos ter um equilíbrio, considerar a realidade de que somos pequeninos, somos um “nada” – a exemplo da Virgem Maria, exemplo máximo de humildade. Ela foi tida como humilde porque aceitou o plano de Deus.

Tal virtude se adquire pela oração: é rezando muito que nos tornamos humildes. Aos que já adquiriram, rezem para continuar virtuosos, pois todos precisamos ser homens e mulheres humildes.

Outra virtude que precisamos é da magnanimidade – que quer dizer “ter a alma grande”. Só Deus pode encher nossa alma. Costumamos nos perder quando saímos à procura de coisas pequenas, pois elas não preenchem nossa alma, só Deus o pode fazer.

Além de tudo isso, vale reforçar que nós somos “um nada”, porém, o Senhor deseja realizar grandes coisas em nós. As maravilhas que Deus quer realizar são as mesmas que fez em Maria: gerar em nós o Seu Filho. Para, como São Paulo, dizermos: “Já não sou eu quem vive, mas Cristo que vive em mim” (cf. Gl 2, 20).

O Poderoso faz maravilhas

O Poderoso é santo, e em nós faz maravilhas! O Senhor nos deu vida e chances para podermos testemunhar por onde formos que Cristo é quem vive em nós. A partir de então, nada mais faz sentindo em nossa vida, somente Jesus.

A misericórdia de Deus usou a pequenez de Maria, e Ela não teve como não reconhecer que as gerações iam lhe chamar de bendita. Ela entende que foi a misericórdia que a escolheu para ser a Mãe do Salvador, pois é próprio de Deus usar os pequeninos como instrumentos de Salvação.

Ele prefere trabalhar com os instrumentos mais fracos para salvar os outros. Será que estamos prontos para sermos instrumentos do Senhor na salvação do próximo? Por essa razão, Ele resiste aos soberbos, e não os usará como instrumento de Salvação, mas somente os pequenos e humildes.

Instrumentos de Salvação

Se continuarmos a nossa vida espiritual, humana, profissional, familiar achando que temos todos os méritos por sermos Filhos de Sião, se acharmos que os méritos são nossos, corremos o risco de não sermos usados por Deus como instrumento para Salvação das pessoas.

Logo, o Carisma só tem sentido para a Igreja e para o mundo se salvar almas. Se a nossa vida não for para salvar, em vão será tudo isso, pois tudo passa.

Ao reconhecer que “o Poderoso fez em mim maravilhas”, seremos instrumentos salvíficos. Quando olharmos com a verdade para nós mesmos e percebermos as nossas misérias, nosso nada diante de Deus, é que realmente entenderemos que estamos no caminho da humildade.

Confirmar que o Poderoso fez em nós maravilhas é o ponto de partida para ficarmos livres da soberba e crescer na nossa vida espiritual.

O que Deus quer é a nossa verdade, a condição que temos de olhar para nós mesmo e reconhecer a pequenez que somos. Quando formos capazes de reconhecer esta pequenez, podemos cantar também as maravilhas do Senhor.

Ele espera de nós um amor belo, sublime e verdadeiro, semelhante ao da Virgem Maria. Vamos aprender amar o Amor com a Bem-aventurada Filha de Sião!

Façamos a vontade de Deus

Faz-se necessário que nos baixemos para Cristo viver em nós, já que Ele vive naqueles que se baixam e se deixam encontrar.

Vejamos Nossa Senhora, que preferiu dizer: “Eis aqui a serva do Senhor” (cf. Lc 1, 38), e partiu para um caminho de humilhação. A realidade após o anjo sair da presença dEla, era de uma moça grávida, que passaria pelo caminho da humilhação. Ela entendeu que a humilhação a tornava humilde.

Assim, a Virgem Santíssima seguia humilhada em todas as situações: fugindo para o Egito; cumprindo a Lei; depois vendo todas as autoridades contra seu Filho; não se desligando em nenhum momento do seu título de serva.

E o serviço é este: fazer a vontade de Deus.

Nossa Senhora se tornou serva da vontade de Deus, e a vontade de Deus honrou Aquela mulher!

Além disso, nós temos uma mãe, que é a mesma de Jesus. Temos um pai, o mesmo de Jesus. Somos carne da mesma carne! Maria em sua mais profunda dor gerava toda a humanidade, e aos pés da cruz fomos recebidos no seio materno da Virgem. Com o coração traspassado, Ela aceita ser mãe da humanidade inteira.

Maria não tem vergonha de nós, Ela nos defende!

Isto é a nossa alegria – não somos órfãos! Nos momentos difíceis se refugie debaixo do manto da Mãe de Deus, neste lugar o diabo não entra e Ela é capaz de nos defender.

Rezemos juntos: Sob o teu manto, sob a tua proteção, ó Mãe, estou seguro!

O útero da Virgem Maria é um lugar seguro, e Ela tem dado um tempo novo para a Comunidade Filhos de Sião. É sobre esta graça de Deus que nós vamos deixar que Nossa Senhora seja entronizada no nosso meio.

 

Francisco Adriano Silva
Cofundador e Consagrado na Comunidade de Vida com Promessas Definitivas

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?