Formação

Somos chamados a sermos Filhos de Sião

Iniciemos sabendo que tudo é obra das mãos de Deus. Nada é nosso, tudo vem de Deus! E a partir do Salmo 8, meditaremos a seguir.

Os pequenos

O salmista diz que o louvor sai da boca dos pequenos – estes são aqueles que louvam, são humildes, agradecem. E somente os educados agradecem!

No entanto, se a nossa inclinação é para o mal, quem somos nós para que Deus pare um momento, a fim de nos fazer escutar a voz dEle? Quem é você? Quem são os ‘filhos da inclinação ao mal’ para o Senhor se ocupar? Saiba que o Senhor está ocupado com você! Sua ocupação é querer nos salvar; estender Sua graça em nossas vidas.

Afinal, quem é você?

Ora, a obra mais perfeita que Deus criou foi você! E além de te dar um lugar para que você viva com Ele, o Senhor também te preenche de condições espirituais para que você consiga viver junto dEle.

Assim sendo, Deus busca se comunicar com a humanidade, e a maior certeza que temos é de que “o homem é capaz de Deus” (cf. CIC, § 27-49). Logo, você é capaz de Deus – sua juventude, sua família, sua vida… Se Ele chega a esse ponto, é porque você é capaz de viver em Deus, pelo único propósito de te salvar. O Senhor está olhando para ti e pensando somente em te salvar!

É plano de Deus nos salvar e dar uma vida nova

A história de Deus com o homem se chama história da salvação, trata-se de um plano divino. Por essa razão, você foi chamado para ser Filho de Sião – para a salvação! Não é para satisfazer a sua família, a sociedade ou os seus amigos, mas porque Deus te chamou primeiro. Existe uma relação de amor entre Deus e o homem.

Desse modo, a relação de amor é também de paternidade: um amor que protege, defende, entra na frente por ti, toma as dores por ti, ensina e põe de pé. Só viveremos felizes plenamente se nos entregarmos a este amor! Aos poucos você entenderá que a vocação mais sublime do homem é manter-se unido a Deus.

Então, compreendendo esse plano, esse amor, você perceberá que Deus não é um obstáculo à realização humana, mas condição essencial da mesma. Aquele que é digno do homem é a pessoa de Jesus Cristo.

Você é Filho de Sião!

Aquele que foi encontrado por Deus, e que só se realiza nessa comunhão com Ele – esse é o homem Filho de Sião. Só entenderá tudo isso quem fizer uma entrega livremente a Deus.

A partir da nossa história de fundação, entendemos o ser ‘filho de Sião’ através de uma fuga: faz-se necessário fugir de nós mesmos! O Senhor inquietou os nossos corações para fugirmos. Primeiro, Ele nos amou, e fomos entendendo que o amor dEle era muito grande e o nosso tão pequeno…

Com esse amor pequenino não tínhamos condições de respondê-Lo. Entendemos que somos criaturas fracas, incapacitadas de suportar tudo o que se levantava contra nós. Foi então que fugimos para um retiro, quem se retira foge! Na fuga, encontramos Aquele que dá sentido a toda nossa vida.

Não fugíamos de uma festa, mas de nós mesmos

Logo, fugir é uma marca dos Filhos de Sião: das ocasiões de pecado, do inimigo e de nós mesmos. Somos fracos, temos facilidade de cair, pecar e nos esconder de Deus. E somos assim até hoje, por isso a fuga.

Ainda, o Filho de Sião não foge para o vazio, nós fugimos para um lugar – não apenas um lugar físico – fugimos para os braços do Pai, para Alguém que dá sentido às nossas vidas, que nos fez esquecer da vida mundana… Fomos capazes de deixar tudo para ficar com este algo valioso até hoje.

Estamos aqui neste momento porquê fomos amparados pelos braços do Pai. Pudemos encontrar essa identidade de ser Filhos de Sião nos braços do Pai – o Amor verdadeiro e real. Não foi só emoção!

Aquela manhã de domingo em 1998 foi a que salvou a nossa juventude, que salvou nossa vida, que salvou o Marco! Esta é a maior graça. Por causa dessa fuga tivemos coragem de dar a vida a Deus.

Um grito para amar

Esta coragem não brotou de nós mesmos, ela tem um nome. Uma mulher teve coragem de dar a sua vida, por amor a Deus e amor aos homens – foi assim que a nossa fundadora respondeu esse amor. E com esta resposta nós fizemos a mesma coisa ao ecutarmos o grito: O Amor não é amado!

Ser filho de Sião é, afinal, amar o Amor, sair da própria pequenez para amar o Amor.

Só grita quem tem pressa, se o Senhor gritou é porquê tem pressa na sua vida! O agora de Deus se expressa neste instante. Se Ele está gritando é porquê tem pressa em te salvar, te dar uma vida nova.

Após a decisão, isto é, depois da nossa resposta, o Senhor revela o que somos, como somos e o que faremos. Primeiro nos chama para fugir e chegar nos braços dEle. Em seguida, Ele nos ama e nos pede para amar. E após isso, Ele diz como deve ser o nosso amor – amar incondicionalmente a Jesus, um amor que não põe condições… Assim ama o Filho de Sião!

Com todo o nosso coração, a nossa força e o nosso ser, não tenhamos medo de viver esse amor! Torne-se você também um com Ele, sendo alma esposa – as nossas almas têm desejo de encontrar Jesus!

 

Francisco Adriano Silva
Cofundador, Consagrado na Comunidade de Vida com Promessas definitivas

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?