Formação

SVES – Cura interior

Temos o privilégio de celebrar este seminário na véspera de Pentecostes, a fim de mergulhar na intimidade com Deus, e receber o Paráclito!

Não ouçamos as pessoas que dizem que rezar e fazer o que nós fazemos é perda de tempo, pois a felicidade que aqui encontramos ninguém pode nos roubar! Quem tem Deus não se desespera, apesar das contrariedades.

O plano divino

Durante essa semana, recebemos muitos presentes! Descobrimos que o plano de Salvação de Deus é belíssimo. Quando nos desviamos dele, fugimos de encantar as pessoas que estão ao nosso redor em relação ao amor do Pai.

Por essa razão, a entrega de Cristo foi para que tivéssemos vida em abundância (cf. Jo 10, 10), porquê nossos primeiros pais fugiram do sonho de Deus para as suas vidas. E hoje nós fazemos o mesmo! Desde o princípio temos uma tendência para o mal, e é necessário curá-la.

A cura que precisamos

O que precisamos, depois de tantas experiências, é da cura de nossos corações. Quem não tem algo para ser curado? Seja em si mesmo, no seu interior, seja na família… Talvez porque foram machucadas, não foram amadas, não aprenderam perdoar, e acabam espalhando apenas grosserias e o mal aos demais.

Apesar de ser a cura mais dolorosa e vergonhosa, é necessário passar pelo processo de cura interior. Não devemos nos envergonhar de dizer – para as pessoas certas – aquilo que dói, o que está em desordem em nós.

O que é a cura interior?

É o processo que, através do Espírito Santo, somos curados de sentimentos negativos, doenças físicas e espirituais, traumas, medos, pecados não confessados… Ela oferece a oportunidade ao cristão de voltar ao primeiro amor, de reatar a aliança com Cristo. Ela derruba, portanto, o muro que foi construído pelo pecado, entre Deus e cada um de nós.

Além disso, muitas doenças psicossomáticas são causadas pela falta da cura interior, desde a nossa concepção até o momento presente.

Assim, na cura interior, de forma cronológica, vamos à raiz, descobrindo como se deu a concepção da criança – tenha sido por estupro, em situação de alcoolismo ou de entorpecentes, não planejadamente… Descobrindo o que causou o mal, e o que fez com que cada um agisse de tal forma hoje.

Logo, a cura interior é para os corajosos! Pois o Senhor revelará aos ministros – e àquele que está em processo – as verdades do seu passado.

Deus quer que sejamos totalmente curados – em corpo, alma e espírito. No entanto, vale ressaltar que a cura física é a menos importante, visto que a interior é a que nos levará ao céu.

Se damos mais importância à cura física, pode-se dizer que isso não vem de Deus! Pois diz o Evangelho: “Se teu olho direito é para ti causa de queda, arranca-o e lança-o longe de ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o teu corpo todo seja lançado na geena” (cf. Mt 5, 29).

O que fazer para alcançarmos a cura interior?

Cada um de nós tem uma história, construída por experiências e escolhas, bem como pecados e machucados causados por si mesmo e também pelos outros.

Sabe-se que Satanás usa da artimanha de sedução para nos levar a pecar, e ao cairmos, ele se utiliza de outra estratégia – a condenação, para nos afastar da presença de Deus. Enquanto ele condena, o Senhor cura!

Vejamos a seguir os passos para a cura interior:

  • Querer ser curado, mudar de vida: Temos o remédio para mudarmos, de transformar nossas vidas e dos próximos: decidir assumir os próprios erros e defeitos, e então mudar de vida! Deus não interfere na nossa liberdade, nem mesmo para nos salvar.
  • Ter fé: Crer que conseguiremos chegar à cura!
  • Compartilhar, partilhar com alguém: Sair da solidão, do “esconderijo”, e encontrar pessoas reais – pessoalmente – para compartilhar seu passado, sua história e memórias.
  • Reconhecer e ouvir aqueles que nos conhecem: O médico só pode receitar se eu o informar da minha verdade. Precisamos descobir nossos defeitos e tratá-los.
  • Perdoar: Se não conseguimos dar perdão, estamos agindo com soberba, pois Deus perdoa – Ele, que é soberano, perdoa! A falta de perdão nos condena, causa uma angústia… A ponto de nos adoecer, de diversos modos.

O perdão liberta! Ele proporciona a paz interior. Perdoar os outros, e a si mesmo.

E isso se dá mediante uma santa confissão. É o primordial. Também vale ressaltar que se chegarmos lá sem arrependimento, sem vontade de mudar… De nada vale.

  • Vida de Oração: Intimidade com o Senhor. A partir da oração podemos reescrever nossa nova história.

Não esqueçamos que a Santa Eucaristia é a oração de cura mais poderosa! Ali o Espírito age com mais força, e é preciso nos deixar conduzir por Ele.

 

Carmem Zilda
Obra da Comunidade de Filhos de Sião
Coordenadora Do Grupo de Oração Nova Aliança

Conheça nossos autores

×