VOCACIONAL FILHOS DE SIÃO

Vocação, caminho para entrar no profundo amor de Deus

“Se quiseres, pode, se quiseres pode dar-me nova vida: muda minha história, todo o meu viver…” (Se quiseres – Suely Façanha)

Nós vamos nesta manhã de hoje compreender a ação de Deus em nossas vidas. Afinal, por que estamos aqui? Por que decidimos fazer este caminho vocacional? Vocação é um chamado de Deus. Este é o ponto de partida para iniciar o caminho, a maratona.

É hora de começar

A partir de agora começamos uma corrida, cujo ponto de chegada está logo à frente. Porém, assim como numa maratona, alguns atletas ficam pelo caminho, um chega primeiro e outros chegam por último… Mas o que importa é chegar ao fim.

É o Espírito Santo quem vai nos conduzir e ajudar a nos levar até o fim!

Acolhendo a força do amor de Deus, entendamos que a iniciativa é dEle. Ele é quem nos ama, nos quer, e por isso nos chama.

São tantas Marias…

A música com a qual iniciamos este encontro apresenta vários personagens bíblicos. Alguns dos descritos tinham pecados públicos, e eram excluídos. Vejamos: enquanto uma Maria era julgada e quase apedrejada; outra foi escolhida de Nazaré para receber a visita de um mensageiro de Deus; e outra era esposa de Cleofas, ficou junto da Mãe e do Filho na cruz… São histórias de “Marias”. Todas elas foram chamadas e trilharam o caminho rumo à vontade de Deus.

Dentre eles, o chamado de Maria Madalena, por exemplo, é profundo. Reparemos que, quando ela estava prestes a ser morta, antes de receber as pedras, ela já era apedrejada por julgamentos, más palavras, e escárnios dos acusadores. Todavia, Jesus se voltou para ela e lhe disse: “vai, e não tornes a pecar”. Não a chamou para segui-Lo, e não foi porquê a considerava incapaz… Mas ela, sentindo-se salva e muito amada, permaneceu e foi com Cristo, até que se tornasse uma testemunha da Ressurreição.

Não foi diferente com Levi, cuja identidade foi até mesmo modificada. Aquele antigo cobrador de impostos, que arrasava com a vida daquele povo pobre, foi chamado por Jesus: “vem e segue-me”… E ele foi.

Hoje, neste início de jornada, e lhe questiona: “O QUE VOCÊ QUER?”.

O Senhor questiona

No meu caso, a 20 anos atrás, o Senhor me fez a mesma pergunta. Eu que achava que consagrar a vida era apenas para padres e religiosos… Depois de Ele ter me visto e amado profundamente – sabendo Jesus que eu sabia o que Ele queria – respondi: Senhor, eu quero te dar a minha vida. Embora tenha sido uma resposta ingênua, era o que havia no mais íntimo de mim. No auge da minha juventude, a única coisa mais importante, mais interessante – em meio ao turbilhão de coisas que o mundo me oferecia naquele momento – foi Jesus”.

Como o Senhor perguntou, ainda, a Bartimeu: “O que tu queres?”, aquele cego respondeu que queria ver, e recebeu de Cristo o milagre. Também Zaqueu, ali do alto da árvore, foi visto por Jesus. Mesmo sendo um homem corrompido pelo pecado do roubo, não resistiu ao convite de Cristo… Por isso desceu depressa, acolheu-O em sua casa, e mudou sua própria vida – devolveu tudo aquilo que não lhe pertencia, dando de volta aos pobres.

Consequências do chamado

A primeira coisa que acontece conosco em consequência desse chamado, é a retirada daquilo que ocupa em nós o lugar de Deus. Quando Jesus chega, as demais coisas passam a ser secundárias. Apenas Ele é o extraordinário, e nada chega à Sua estatura. Tudo isso pela coragem de dizer – e viver – como na música: Se quiseres, pode mudar minha história. Se assim não for, não permaneceremos firmes até o fim nesta maratona.

Conduzidos pelo Evangelho de São João 1, 35-39.0

Graça de Deus, iniciativa de Deus

Aqui está o segredo: ir e ficar com Jesus. Isso porque, quando ficamos com Jesus, é Ele mesmo quem vai modificando as nossas vidas. Se você não tem ainda disposição e coragem para mudar, não esqueça que não depende apenas de um esforço próprio, mas é também graça divina.

Portanto, a expressão de Cristo “vinde e vede” é um convite para um encontro. É o que o Senhor faz conosco neste vocacional: Vinde e vede o que Eu posso fazer na sua vida! Aqueles discípulos experimentaram o coração arder na presença do Senhor, já que o encontro pessoal com Ele foi o que os manteve ali. E é também esse encontro pessoal que nos manterá junto a Cristo.

Muitos encontros são esquecidos, mas o encontro pessoal com Jesus permanece, é inesquecível – pois Ele é alegria e luz –, e quem O encontra vai levá-Lo a outras pessoas.

Se a iniciativa é dEle, e em Sua liberdade divina nos chama, nós – em nossa liberdade humana – respondemos a esse chamado. Vocação é, portanto, o encontro de duas liberdades.

Somos chamados

Além disso, o chamado divino foi, primeiramente, à vida. O Senhor nos chamou pessoalmente, pelo nome. E Ele nos chama para constituir o Seu povo – para ir pelo mundo… E o “mundo” pode ser a sua família, sua sala de aula, seu ambiente de trabalho, seu namorado, sua esposa.

Em seguida, Ele nos chama ao Batismo, para sermos filhos de Deus. E por fim, o Senhor nos chama a uma vocação específica, isto é, um carisma – um chamado especial para a consagração.

“A uns Deus chama a construir uma família, a outros para permanecer em casa e cuidar dos pobres, mas a mim o Senhor pediu tudo. E não posso dar outra coisa, senão dar tudo a Ele” (Santa Clara)

Logo, quem crê responde a esse chamado! Diante do chamado, alguns podem ter medo, no entanto, perante o amor, só podemos corresponder com amor. Nesta caminhada iremos adentrar no profundo amor de Deus por nós!

Estamos em maratona, portanto, como bons atletas deveremos nos preparar:

  • Para aquecer, oração pessoal: é a primazia, e sem ela a voz de Deus não será clara, tudo ficará confuso. Para o Filho de Sião, na oração é preciso contemplar, apreciar a ação de Deus; entrar em Sua presença e ser quem somos diante dEle.
  • A oração também deve ser comunitária – nos Grupos de Oração abertos ou de crescimento.
  • Estudo da Palavra de Deus – passaporte para o vocacional.
  • A intimidade com Maria Santíssima pelo santo terço.
  • Eucaristia – Santa Missa aos domingos, e na semana se possível.
  • Invocação dos baluartes, ou seja, clamar a presença e o auxílio de São Francisco, São Camilo e Santa Teresinha.
  • Vida fraterna e de apostolado.

 

Francisco Adriano Silva
Cofundador e Consagrado na Comunidade de Vida com Promessas Definitivas 

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?