Formação

Retiro Comunidade de Aliança: Frutificar o Carisma

Não é fácil evangelizar na própria casa… O próprio Jesus não foi aceito em sua terra.

Tem alguém feliz aqui? Feliz porquê veio? Vir ao retiro é como voltar a ser alguém de novo, pois estamos atentos para escutar aqueles que Deus enviou para falar conosco.

Ao longo da caminhada, e conforme as nossas necessidades, perceberemos que o Carisma é um mistério revelado aos poucos. É a pedagogia de Deus para conduzir o seu povo.

O Carisma é esse dom de Deus, como aprendemos anteriormente. Um dom é presente, e presente se dá. Assim, o Senhor deu o dom do Carisma Filhos de Sião. E ao longo desses anos, estamos revelando com a nossa vida esse dom, na busca da fidelidade a Deus, e revelar esse presente divino para nós e para a humanidade.

Não é fácil dizer o que Deus quer: quantos profetas resistiram à voz de Deus, para não falar o que lhes pedia, tentando se desviar de Deus, porém, o Senhor insistiu com eles.

O Carisma nos cura, liberta e nos faz novas pessoas

Precisamos observar os detalhes do dom de Deus no nosso meio, para não pensarmos que estamos só preenchendo nosso tempo. Olhar as coisas como revelação de Deus, a fim de lhes dar sentido.

Diante disso, Jesus gosta de confundir os sábios para manifestar o seu poder aos pequeninos – a nós, que somos pequenos. Não queiramos ir por um caminho que não seja o da revelação divina para nós. Deus nos chamou para uma vida comum na Comunidade, unida a Ele e somente a Ele, através do dom Filhos de Sião.

Somos chamados a frutificar o Carisma. Eu sou chamado a frutificar o Carisma. Ora, não é um fruto qualquer! Não somos um fruto qualquer, e nem podemos dar qualquer fruto.

Alegria, o maior fruto

Assim, o melhor maneira que nós podemos frutificar é apresentando ao mundo uma vida vivida na alegria. A alegria que é um fruto do Espírito Santo. Sejam, portanto, alegres, vivam felizes. Considerando os dons de Deus em meio a tantas adversidades e contrários da vida… Sejam felizes!

As pessoas desejam ver alegria; um coração feliz; uma vida feliz, satisfeita. De forma que olhem e se admirem com tanta felicidade! O dom divino está no meio de nós. O melhor jeito de nos mostrarmos ao mundo é expressando a nossa felicidade.

Infelizmente, o mundo tem medo das pessoas felizes, não quer ver ninguém feliz. Pelo contrário, o mundo quer que você viva o que ele propõe – coisas rasas, que passam e acabam. Ele faz isso para podermos ir de novo buscar o que já nos ofereceu. O mundo não satisfaz.

Mas a lógica de Jesus é a mesma usada com a samaritana: “Eu tenho a água para lhe dar e que você não terá mais sede” (cf. Jo 4). Esta é a lógica de Cristo para conosco, de nos dar o que não precisamos mais ir buscar. Por isso o mundo tem medo de pessoas felizes, pois estas já estão cheias; não necessitam mais procurar por aí, estão repletas de Deus, plenas – não precisa mais das coisas que passam e fazem voltar de novo.

Aquilo que não passa

Francisco Adriano Silva – Cofundador

Como é bom saber que os jovens estão descobrindo a felicidade na Comunidade Filhos de Sião. Como é bom saber que as pessoas querem ser felizes se preenchendo daquilo que não passa. O dom Filho de Sião precisa ser desenhado por cada um de nós, o mundo não pode ser confuso ao ver os Filhos de Sião. O mundo tem que ter certeza que ali tem um Filho de Sião. A certeza de que tem um Filho de Sião feliz – não perfeito, mas feliz.

Além disso, a Igreja já viu que nós estamos sendo um fruto para o mundo e para ela mesmo. Por essa razão, não podemos deixar que esse fruto passe pelas nossas vidas, vivendo de qualquer jeito ou “do meu jeito”. O que mais nos prejudica na nossa caminhada é não escutar a direção, não se deixar conduzir pelo Carisma. Se for assim, não seremos um fruto bom.

Quando vem a tempestade, os momentos difíceis não roubam nossa felicidade. O homem feliz, que está em Deus, não é roubado pelas dificuldades. Esse fruto é o maior que o mundo espera de nós.

O mundo espera por nós

Até aqui, pode-se questionar: Onde é necessário que você se manifeste? Em que lugar é preciso se manifestar?

O melhor jeito de fazermos o Carisma frutificar é abraçando a nossa vida, isto é, a vida proposta para nós. Ninguém chega à Consagração enganado! Na Comunidade, é um percurso de cinco anos, o qual somos chamados para abraçar a vida consagrada, um jeito de viver o novo, um estilo novo.

Nesse tempo, a Comunidade vai formando como deve viver o Filho de Sião. Assim, não queira abraçar o que não é seu, o que não lhe pertence. Você só dará frutos mergulhado, inserido e encharcado no dom Filhos de Sião. Caso contrário, você fará muitas coisas que não serão frutos desta vinha, desta árvore.

Isso porquê os ramos precisam estar unidos à videira, pois o ramo por si só não dá frutos. Precisamos todos os dias na oração pessoal dizer: “A minha vida é uma verdade?”. Ser uma verdade é ser você mesmo.

Nossa melhor forma de evangelizar, de falar de Jesus, é dizer ao próximo: “Abrace a minha vida por Jesus! Na minha vida o que faz a diferença é Jesus. Ele é o responsável por eu ser tão feliz!”.

Um fruto de amor

A Comunidade foi capaz de mudar a minha vida, de me levar a rezar, de me fazer um homem orante. Ela me tornou mais fraterno, e por isso aprendi a amar, bem como servir e amar a Igreja. É por amor! As pessoas precisam ver que você ama a Comunidade, pois ela conseguiu reverter a sua vida.

Todos olham para o fruto, ele chama a atenção e está em evidência. O que fica na nossa vida em evidência é o fruto, o testemunho e o que nós somos.

A alegria é um fruto de se viver a escolha de Jesus no carisma Filhos de Sião. Jesus nos escolheu, tem alegria melhor e maior para se viver? Não foi o Conselho que escolheu vocês. Deus que escolheu. Se alegre com essa verdade. Não foi outra pessoa, foi Jesus, esse é nosso maior motivo de sermos felizes.

Nós precisamos ter coragem de convidar as pessoas para provar da nossa vida. Porque eu tenho uma vida feliz, venha viver como eu vivo, venha ser um consagrado. Na comunidade é o lugar de ser feliz. Chamemos as pessoas para viver a nossa felicidade. O que a Comunidade me pede é a felicidade da minha vida. Ela só oferece o que Deus quer, e o que Ele quer é o que nos faz feliz – como nos ensina Santa Teresinha.

O que o Senhor quer para sua vida?

Todo bom fruto é desejado. Logo, Jesus foi o fruto do Pai para o mundo e todos desejaram a Ele. Até mesmo os fariseus, eles implicaram com Jesus, mas por que Jesus ameaçava o poder deles, mas eles queriam saber quem era Jesus, desejavam ir ao encontro de Jesus. A prova é que Nicodemos, um fariseu, desejou Jesus.

Nossos Estatutos não são leis – temos a opção de experimentar Jesus e o seu amor, bem como de não experimentá-Lo e ficar “na nossa vida”. Os frutos são resultados da ação do Espírito Santo na nossa vida, sem Ele não damos frutos. É uma ação na vida daquele que serve a Deus e foi chamado para seguir seus propósitos.

Os frutos fora do sítio

Por que é tão difícil contar com todo mundo? O que você está fazendo? Às vezes queremos dar frutos fora do sítio. Deixe os frutos ficar onde você está plantado. Se você der fruto aqui no carisma a comunidade dar frutos para o mundo e para a Igreja.

Fruto se remete a uma árvore, e para que ela continue dando frutos é necessário que ela seja podada, para poder nascer novos galhos. O que nos poda é a palavra de Deus. Ela é capaz de nos podar, pois nela se encontra o caminho, a verdade e a vida. Como a luz, força e Jesus. É preciso a poda.

Você pode observar como os momentos de retiro dão uma direção em sua vida, você passa a amar a vida muito mais. Os frutos da poda nos fazem amar a Jesus mais ainda e não deixa a gente desistir no caminho. É através dos frutos que vamos sendo capazes de dar a vida pelos irmãos, ou seja, retribuir o amor a Deus.

Já que você não pode morrer por Cristo literalmente, você pode morrer por Cristo nos seus irmãos. Cuidando e amando.

Discipulado junto à Videira

Conduzidos por São João 15, 1-8.

Os discípulos de Jesus são aqueles que dão frutos. A partir desse Evangelho entendemos que somos chamados a conformar a nossa vida a Jesus. Permanecer é o sentido da vida em Cristo, quantas vezes o autor sagrado usou a palavra permanecer. Este permanecer não é algo inativo, parado, que se esconde não em Deus, mas em você mesmo. Este permanecer é ativo e recíproco. Se você permanecer em mim, eu permaneço em você. Isso não é um comércio de Jesus, é uma reciprocidade.

Trata-se de um permanecer recíproco, é um mistério que se revela a medida que vou entrando na vida, Cristo e Ele em minha vida. Fazer com que Cristo entre na nossa vida é a nossa experiência. Cristo já entrou na tua vida? Ou continua batendo a porta?

Quando Cristo entra, um misto de coisas acontecem, sabemos que Cristo está fazendo parte da nossa vida quando escolhemos o que Ele quer. Nem tudo o que eu escolho que é licito é o que Deus quer. Discernimos muito com a lógica as coisas, isto é perigoso.

A videira precisa do ramo para dar frutos, então, podemos dizer que Jesus precisa de nós? Qual a necessidade que a videira tem do ramo? A necessidade que a videira tem do ramo é o fruto.

O fruto do Carisma

A necessidade que Jesus tem de nós é o testemunho, a única coisa que Jesus quer de nós, o testemunho é a maior necessidade, é o próprio fruto. Deus Pai quis em toda a história precisar do homem. Bendito seja Deus que o Senhor precisou dos homens.

O fruto desse Carisma é o amor no mundo, no meio das famílias, dos jovens, das crianças e o amor onde quer que estejamos. Amemos! Amar é ter atitude, agir, acolher a força do amor de Deus. A fé, e evangelho e a comunidade só cresce do testemunho que damos da pessoa de Jesus e do que Ele faz em nossas vidas.

 

Francisco Adriano Silva
Cofundador, Consagrado na Comunidade de Vida com Promessas Definitivas

Tema Geral – Retiro da Comunidade de Aliança Filhos de Sião 2023

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?