Formação

É preciso pressa para acordar e inflamar os corações adormecidos e indiferentes

Neste primeiro dia do ano de 2022, gostaria de animar os nossos corações adormecidos e entorpecidos para anunciar ao mundo a Boa Notícia que, naquele dia especial do nosso encontro pessoal com o amor de Deus, todos nós tivemos.

Nós devemos e precisamos com urgência dizer como João em sua primeira carta: “O que ouvimos, o que vimos com nossos olhos, o que contemplamos e o que nossas mãos apalparam do verbo da vida – porque a vida manifestou-se: nós a vimos e dela vos damos testemunho e vos anunciamos essa vida eternao que vimos e ouvimos anunciamos para que estejais em comunhão conosco.” I Jo 1, 1-4.

Meus irmãos, é urgente! Precisamos gritar com nossas vidas, com nosso testemunho e se preciso for com nossa voz que O AMOR NÃO É AMADO! Não temos mais tempo para perder! Você não pode perder mais tempo, eu não posso perder mais tempo! A noite vai adiantada e o dia vem chegando… (Rm 13, 12). A hora é de decisão! Como diz a nossa música: “Agora é tempo de tudo perder, pra tudo ganhar!”

O evangelho que lemos hoje precisa ser compreendido por nós como um apelo, uma chamada de atenção, um “cair na real”, definitivamente. O Senhor mais uma vez vem como que nos falar: “quem tem ouvidos, ouça”, mas ouça com bastante atenção porque o tempo está passando! Nesse evangelho, vemos a narrativa dos reis magos que vão ao encontro do menino Jesus na manjedoura em Belém, e o texto fala exatamente assim: “E eles foram COM GRANDE PRESSA e acharam Maria e José, e o menino deitado… e saíram de lá louvando e glorificando a Deus por tudo o que tinham visto e ouvido”. (Lc 2,16-21) Porque depois que eles contemplaram com seus próprios olhos a esperança do mundo, o salvador da humanidade, o amor que não era amado, também com pressa saíram de lá e foram anunciar com grande alegria o que tinham visto e ouvido.

Você teve ou não uma experiência de amor? Então que amor foi esse que nos acovardou, que nos arrefeceu, que nos fechou em nós mesmos? Vimos ou não vimos o Senhor?  Eu aprendi, ainda no início da minha caminhada, com a historinha dos cachorros que latiam e corriam atrás da lebre, que só iriam permanecer e correr atrás de Jesus aqueles que de fato viram o Senhor, aqueles que experimentaram e continuam a experimentar do seu amor.

VOCÊ REALMENTE VIU O SENHOR?

Acordem, pelo amor de Deus, ainda dá tempo! É preciso pressa para acordar e inflamar os corações adormecidos. Mas para isso é preciso assumir a decisão lá do início da caminhada, é preciso ACORDAR E INFLAMAR O PRÓPRIO CORAÇÃO primeiro, para aí sim acordar e inflamar os corações adormecidos ao nosso redor. E não são poucos os corações adormecidos e indiferentes, são muitos e eles estão por toda parte, sabiam? Eles estão em nossa casa, em nosso trabalho, em nossas ruas, esquinas e bairros, em nossas cidades… É PRECISO PRESSA PARA QUE TODOS ACORDEM E SEJAM INFLAMADOS!

Nesse mesmo evangelho, existe ainda um detalhe muito importante e que não pode passar despercebido por nós. Vemos que diante de tudo o que acontecia “Maria conservava todas essas palavras, meditando-as no seu coração”. Em um primeiro momento, fica parecendo que Maria não teve nenhuma reação e permaneceu indiferente a tudo o que estava acontecendo ali, mas não foi isso o que aconteceu. Maria mais uma vez nos ensina algo que é impossível ignorar: com sua atitude de conservar e meditar todas as palavras no coração, fica claro que só teremos pressa em acordar e inflamar os corações adormecidos se tivermos um coração contemplativo na oração. Maria nos ensina mais uma vez o que todos nós já sabemos, mas fingimos não saber: que somente um coração íntimo de Deus, que reza diariamente, estará sempre acordado e inflamado de amor, e será capaz de acordar e inflamar tantos corações adormecidos. Nossa força e coragem vem da Oração Contemplativa.

Acordemos, inflamemos nosso coração, portanto, e tenhamos pressa em acordar os corações adormecidos e inflamar os corações indiferentes!

Que durante todo esse ano, Santa Maria, a Mãe de Deus seja nosso modelo de oração contemplativa e que ela interceda por nossa decisão de amar Jesus, o amor que não é amado sempre e em primeiro lugar. Amém.

 

Julineide Mendes
Consagrada na Comunidade de Aliança Filhos de Sião

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?