Formação

O Filho Pródigo é o caminho que leva para casa

Falar do Amor de Deus é descrever da minha e da sua história, de ser encontrado por um Deus eterno e que ama de forma pessoal. Um amor fiel, misericordioso e gratuito. O amor de Deus nos desconserta, nunca conseguiremos falar tudo… O amor de Deus nos constrange: como pode um Deus tão grande pensar em nós, cuidar de nós, confiar em nós?

Comparando dois personagens bíblicos jovens

O Jovem Rico

Iniciemos a partir do Jovem Rico. Vemos que mesmo com toda a sua riqueza na juventude, ele era importante na sociedade daquela época. A alma dele desejava por algo além, algo que nem o dinheiro e nem o poder poderia comprar, e apenas riqueza não preenchia o vazio do seu coração.

Ele corre, ele se prostra, fica de joelhos diante de Jesus. Nisso, podemos concluir que aquele jovem fez uma decisão acertada – afinal, só Jesus poderia preencher o vazio do seu coração. Jesus é o AMOR de Deus em essência. Aquele que é o único capaz de preencher qualquer vazio.

A atitude foi correta – ir para Jesus, mas o coração dele ainda estava apegado aos bens materiais. Ele foi a primeira pessoa na história do Evangelho que se aproximou de Jesus e saiu triste.

O Filho Pródigo

Em contrapartida, o Filho Pródigo cometeu um grave erro: foi lá até o seu pai, exigiu a parte da sua herança: “Dá-me a parte que me cabe” (cf. Lc 15, 12). Quando nós pedimos a herança aos nossos pais é o mesmo que dizer que: “eu não quero mais viver com você”. Ora, uma herança só pode ser dada após a morte do pai.

Aquele filho se enganou, cometeu tal erro tão grande, imaginando que a sua felicidade estaria garantida se ele conseguisse a fortuna, a herança do seu pai. Ele pensava que o dinheiro era a fonte da felicidade. Porém, acabou se tornando infeliz, apesar de ter todo dinheiro.

O dinheiro pode comprar muitas coisas boas, mas não compra a verdadeira felicidade: a interior.

Dessa forma, o filho buscou os prazeres como a prioridade de sua vida, mal sabia ele que o prazer do pecado é decepcionante, passageiro. Os prazeres da carne não satisfazem à alma!

O comum entre os dois jovens

Acerca desses jovens, chegamos a uma conclusão: o Jovem Rico era um príncipe, não era um simples homem, justificava-se cumprindo a lei, ainda que apegado aos bens materiais; mesquinho. Ao passo que o Filho Pródigo pensou que o mundo trazia felicidade – viveu desconsideração pelo pai; viveu dissolutamente, afundado no consumismo.

Sabe o que eles tinham em comum? Pensavam que o dinheiro trazia felicidade! No meu caso pessoal, eu pensava que farra trazia felicidade… Mas a verdadeira felicidade só se tem dentro do Amor de Deus.

Logo, o Filho Pródigo é a representação do caminho que leva para casa. E depois de considerar suas semelhanças, sabe o que eles tinham em oposição? A humildade: um voltou para o Amor do Pai, já o outro desapareceu e nunca mais se ouviu falar dele…

Quanto a mim, aprendi uma coisa com a minha chegada na Comunidade: Não é possível alguém afundar tanto a ponto de não ver brilhar a infinita luz do amor de Deus!

Portanto, nós somos o resultado do Amor de Deus, se hoje sou tudo isso que vocês podem ver, é o resultado do amor de Deus em minha vida. Queira você também ser o resultado do amor de Deus! Ele é a verdadeira felicidade!

 

Fellipe Rios Osterno
Consagrado na Comunidade de Aliança Filhos de Sião

Conheça nossos autores

Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?